Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

TJ-SP DETERMINA QUE 12 CARGOS DA UNIFAE SEJAM EXTINTOS - 92FM São João

Fale conosco via Whatsapp: +55 19 99823 3516

No comando: NO BREAK

Das 00:00 às 02:00

No comando: NO BREAK

Das 01:00 às 03:00

No comando: NO BREAK

Das 01:00 às 03:00

No comando: RODEIO 92

Das 05:00 às 07:00

No comando: RODEIO 92

Das 05:00 às 09:00

No comando: JORNAL DA 92

Das 07:15 às 08:00

No comando: A HORA DO PEÃO

Das 11:00 às 13:00

No comando: FDS DEIXA ROLAR

Das 13:00 às 14:00

No comando: ARQUIVO 92

Das 13:00 às 14:00

No comando: TOP 20 USA

Das 13:00 às 15:00

No comando: NO BREAK

Das 14:00 às 16:00

No comando: TOP TUNES

Das 17:00 às 18:00

No comando: MILK SHAKE

Das 18:00 às 19:00

No comando: #FICA A DICA

Das 18:00 às 19:00

No comando: A HORA DO MUÇÃO

Das 18:00 às 19:00

No comando: TIME MACHINE

Das 19:00 às 20:00

No comando: ARQUIVO 92

Das 19:00 às 20:00

No comando: BANANA SHOW

Das 20:00 às 21:00

No comando: NO BREAK

Das 21:00 às 23:00

No comando: 92 A 2

Das 22:00 às 00:00

No comando: UPGRADE

Das 23:00 às 01:00

TJ-SP DETERMINA QUE 12 CARGOS DA UNIFAE SEJAM EXTINTOS

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) decidiu que 12 cargos do Centro Universitário Unifae são inconstitucionais e devem ser extintos. A decisão consta em uma ação direta de inconstitucionalidade, direcionada à prefeitura e à Câmara Municipal de São João da Boa Vista.

A relatoria é da desembargadora Luciana Almeida Prado Bresciani e os cargos citados na ação constam em leis criadas e aprovadas em 1994 e 2017.

O Tribunal de Justiça determinou que os cargos sejam extintos até hoje (17).

 

CARGOS INCONSTITUCIONAIS

  • Assistente acadêmico
  • Assessoria jurídica
  • Chefe da Central de Apoio Tecnológico
  • Chefe do setor de cobrança
  • Chefe do setor de compras
  • Chefe do setor de licitações e contratos
  • Chefe do setor de administração de recursos humanos
  • Chefe do setor de contabilidade
  • Chefe do setor de controle de materiais e patrimônio
  • Chefe do setor de secretaria
  • Chefe do setor de tesouraria
  • Chefe da seção de serviço de manutenção e limpeza

 

ARGUMENTOS DO TRIBUNAL

As funções listadas acima são exercidas por servidores concursados do Centro Universitário Unifae, que recebiam gratificações para ocupar os cargos de chefia. No entanto, na visão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), os cargos são técnico-burocráticos.

Por esse motivo, não poderiam ser ocupados por profissionais indicados pela reitoria ou pelo poder público, que são conhecidos como cargos comissionados. O correto, segundo o tribunal, seria a realização de concursos públicos para selecionar novos profissionais.

Na ação direta de inconstitucionalidade, o TJ apontou que “nesse contexto, o provimento de tais cargos essencialmente técnico-burocráticos, mas travestidos de comissionados, serviria de condenável burla ao necessário concurso público”.

Nós tentamos contato com a relatora do processo, a desembargadora Luciana Almeida Prado Bresciani, para que ela explicasse, com mais detalhes, a ação direta de inconstitucionalidade.

No entanto, fomos informados que os magistrados não concedem entrevistas sobre processos em andamento, e as informações constam nos autos dos processos, que, neste caso, são de acesso público.

 

O QUE DIZ A PREFEITURA

Nós questionamos a prefeitura sobre se novas leis serão feitas para corrigir as legislações inconstitucionais e qual seria o prazo para tomar essa providência.

O Departamento de Comunicação disse que nos responderia até segunda-feira (16), mas até o fechamento desta reportagem, não obtivemos resposta.

 

O QUE DIZ A UNIFAE

Em nota, o Centro Universitário Unifae afirmou não tem autoridade para editar e promulgar leis. Sendo assim, cumprirá a decisão do Tribunal de Justiça.

A instituição disse que os 12 profissionais que ocupam cargos de chefia não exercerão mais essas funções. Eles deixarão de receber a gratificação de função, que se trata de um valor a mais recebido em razão de exercer as atividades de chefia.

A Unifae ainda ressaltou que as gratificações recebidas pelos servidores em suas respectivas funções correspondem a apenas 0,96% da atual folha de pagamento.

 

O QUE DIZ O ENTÃO REITOR

O reitor do Centro Universitário Unifae na época da criação dos cargos, Francisco Arten, se pronunciou sobre o caso e explicou como foi o processo de seleção dos funcionários para ocuparem os cargos de chefia.

Arten ainda ressaltou que o tribunal não está condenando ninguém, mas apenas analisando se as leis que criaram os cargos são ou não constitucionais.

O ex-reitor também afirmou que não houve farra de cargos, destacando que, ao final de sua administração, deixou a faculdade com caixa de R$ 49 milhões.

 

O QUE DIZ O ENTÃO PREFEITO

Nossa reportagem procurou também Vanderlei Borges de Carvalho, prefeito de São João da Boa Vista em 2017, para que ele falasse sobre essas leis consideradas inconstitucionais.

Em mensagem enviada por aplicativo Whatsapp, Vanderlei afirmou:

“Teria imenso prazer em responder, mas eu não tenho os dados. Porque embora seja o prefeito que encaminha para a câmara, os dados técnicos e a proposta são da Unifae. É uma questão muito técnica que acredito que o jurídico da autarquia deve estar vendo”.

 

Reportagem publicada em: 17/10/2023

Deixe seu comentário:

Curta e Siga a 92FM

Podcasts

BAIXE NOSSO APP

TÁ ROLANDO